terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Convulsão






A convulsão tanto na medicina humana como na veterinária, não é uma doença e sim um sintoma / sinal clínico. Porém, mesmo não sendo uma doença, pacientes convulsivos são sempre um desafio diante das dificuldades de diagnóstico na medicina veterinária, mesmo com o aumento dos casos clínicos. Assim, recebi um material de uma empresa de fármacos veterinários que estão lançando o primeiro fenobarbital veterinário (Uniletas) e vou repassar para vocês.


Epilepsia

O que é?

A epilepsia é um conjunto de sinais neurológicos, caracterizada por convulsões, popularmente conhecidas como "ataques ou acessos", que ocorrem devido a alterações do sistema elétrico cerebral, onde as ondas elétricas perdem momentânea e parcialmente seu equilíbrio fisiológico.

Quando se inicia?

As convulsões normalmente iniciam-se entre 4 meses e 3 anos de idade, embora possam ocorrer após os 5 a 6 anos de idade em alguns cães.

Quais são os tipos de causas?

Epilepsia primária (hereditária, verdadeira ou idiopática): onde normalmente não se identifica uma causa. As raças mais acometidas são São Bernardo, Pastor Alemão, Boxer, Dogue Alemão, Setter Irlandês, Border Collie, Golden Retriver, Labrador Retriver, Poodle Miniatura, Beagle, Cocker Spaniel e Fox Terrier.

Epilepsia secundária (adquirida, estrutural ou sintomática): podendo ser causada por trauma crânio-encefálico, intoxicação por agentes químicos, acidente vascular cerebral, insuficiência hepática ou doença metabólica que leve à hipoglicemia,

Quais os sintomas?

As crises convulsivas normalmente ocorrem quando o paciente está descansando ou adormecido, frequentemente à noite ou no início da manhã. O animal fica rígido, mastiga ruidosamente com seu maxilar, tem sialorréia, urina, defeca, vocaliza e realiza movimentos de pedalagem com os quatro membros em combinações variáveis. O tempo de duração de uma crise costuma ser de 1 a 2 minutos. Os intervalos entre convulsões frequentemente são regulares, podendo ser de semanas ou meses.





Quais são os tratamentos disponíveis?

A medicação anticonvulsivante é o único tratamento possível para a epilepsia primária ou adquirida.
Nos casos de eplepsia sintomática o tratamento deverá ser dirigido para a doença primária, porém em alguns casos, o tratamento clínico paliativo com anticonvulsivantes poderá ser necessário. 
O fármaco de primeira escolha é o fenobarbital, uma medicação eficaz, segura, barata e com poucos efeitos colaterais além da sedação.
Os brometos de sódio ou de potássio poderão ser empregados em associação com o fenobarbital para potencializá-lo. 
Em animais em estado epiléptico o diazepam deverá ser administrado para que saia da crise.


Assim se seu animal teve alguma crise parecida com essa descrita, leve ele ao Médico Veterinário para que seja examinado e se inicie o tratamento mais adequado, mas não realize o tratamento por conta, pois as doses dos medicamentos têm que ser testadas até que se alcance uma dosagem adequada para que o animal não tenha mais crises convulsivas. 
E lembre-se nunca coloque a mão dentro da boca de um animal em convulsão, ele pode acabar mordendo e machucando sua mão. Na hora da crise o ideal é tentar acalmá-lo e ir falando com seu animal até que saia da crise e afaste-se, pois como o animal perde a memória, acaba não reconhecendo o dono logo que volta da crise. 






Priscila de Medeiros Gomes
Médica Veterinária
CRMV/SC 5074

9 comentários:

  1. Caríssima Drª Priscila,
    estava realizando uma breve pesquisa e encontrei seu blog verifiquei de onde voce era,e somos da mesma cidade,desculpe sou Patricia, e tenho um boxer de 12 anos,o mesmo esta apresentando crises covulsivas imediatamente o levei ao veterinario e o dr concluiu epilepsia o que eu ja imaginava e receitou o fenobarbital ate ai correto.realizei uma breve pesquisa na internet e com outras pessoas e os mesmos me falaram que o laboratorio do medicamento(uniletas forte)nao faz o devido efeito. por gentileza qual seu parecer a respeito? devo continuar com esta laboratiro? alem disso os valores para outros laboraorios sao e exorbitante.por favor entre em contato comigo. fico no aguardo att Patricia Pontes 8477-7147

    ResponderExcluir
  2. DRA. PRISCILA, TENHO UMA BOXER FÊMEA, QUE AOS 4 MESES DE IDADE COMEÇOU COM UMA COCEIRA MUITO INTENSA...NADA QUE NOS RECEITARAM SURTIU EFEITO. QUANDO ELA FEZ UM ANO COMEÇOU AS CONVULSÕES.ESTAMOS TRATANDO COM ANTICONVULSIVO, MAS ELA TEVE HÁ MESES ATRÁZ A NOITE INTEIRA DE CONVULSÕES QUE (ACHAMOS) QUE FOI UM AVC, POIS ELA PERDEU A VISÃO DO OLHO DIREITO. COMO ELA FICOU MUITO AGITADA NOS INDICARAM A ACULPUNTURA. E FIZEMOS ELA REALMENTE A AJUDOU, SÓ QUE AGORA MESMO COM 200MG DE FERNOBARBITAL ELA CONVULSIONA. JÁ SE PENSOU E HIPOGLICEMIA, HIDROCEFALIA, TUMOR CEREBRAL...MAS SEM DIAGNÓSTICO PRA QUE A GENTE TOME UM LINHA DE TRATAMENTO. GOSTARIA DE UMA OPINIÃO MESMO QUE DE LONGE,ABRAÇO SOELI GERMANO.

    ResponderExcluir
  3. dra. priscila, me esqueci de dizer que minha boxer já foi castrada. meu e-mail é soelger@yahoo.com.br, agradeço antecipadamente,soeli

    ResponderExcluir
  4. dr... tbm tenho um cachorro um border collie com os mesmo sintomas ja esta tomondo 200mg fernobital de manha e 200mg a tarde ja fez todos exames mas nao deu nada, ele tem 1,5 anos e to com medo dele ficar com alguma seguelas, pela quantidades de medicamentos tem algo aver, ou agregar outro medicamento, agradecido... wil

    ResponderExcluir
  5. Boa noite! Tenho uma boxer de 7 anos que sempre foi saudável, é castrada. Faz 2 meses que começou a convulsionar, de repente. Ela sempre teve muito medo de fogos de artifício e a primeira convulsão foi um dia após muitos jogos e fogos. Está tomando o Gardenal (125mg de manhã e 125 mg de tarde)e o brometo de potássio, mas passado duas semanas começou novamente, o que mais posso fazer para ajudá-la??? Ela fica molinha, mal consegue andar por causa da medicação. Graziella - grazimelito@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Ola,Tenho minha Shih-Tzu de 2 anos, ela apresenta crises convulsivas a 12 meses. No momento, ela usa Brometo de Potássio 180mg de 12/12hs, sagradamente sem alterações de horário e dosagem, Mas nos últimos 3 dias, ela apresenta crises, uma ou duas vezes ao dia, segundo a Neurologista dela, a dose esta correta para seus 6kg, e que estes últimos episodios são normais.
    POR DESESPERO, Amanhã começarei por conta própria a administrar 25mg de Fenobarbital de 12/12hs em substituição ao Brometo... estou providenciando outro neurologista para minha Ammy, mas agradeceria muito sua opinião.Desde já agradeço muito.

    ResponderExcluir
  7. Adotei uma cachorrinha com sequelas de Cinomose, e estou aprendendo a lidar com as situações... Ela esta sendo medicada com Gardenal, mas mesmo assim ela teve convulsão... Antes da convulsão ocorrer ela andou pela casa por horas durante a madrugada, nada que eu tentasse fazer para acalma-la era suficiente, cheguei a pensar que ela estivesse com dores e dei algumas gotas de dipirona, mas nada pode acalma-la.. Quando ela conseguiu deitar para descansar, passado algum tempo veio a convulsão... Ela estava ótima e não sei dizer oque causou essa crise...
    Gostaria de saber se existe outro tipo de tratamento indicado que vá interromper definitivamente uma crise como esta... Agradeço muito por sua opinião.. Muito Obrigada pela ajuda.

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho um poodle com 8 anos, e a mais ou menos um ano começou a ter crises convulsivas iniciou-se o tratamento com 20 ml de fenorbarbital depois 23 ml e agora ta com 40ml duas vezes por dia, porem está tendo tremores constantes e perda de equilíbrio, foi associado calmavet 3 vezes ao dia mais ainda não teve nenhuma melhora..gostaria de saber se teria outro medicamento ou outra coisa que eu possa fazer? obrigado estou mto triste em ver meu amorzinho assim... Marceli

    ResponderExcluir
  9. boa tarde tenho uma cachorra q teve cinomose a um ano atras e graças a Deus não ficou com sequela mas ontem devido a fogos eu acho começou a convulsionar ai na cidade nao tem veternario atendendo hj estou desesperada meu email cris.mm88@hotmail.com

    ResponderExcluir